quinta-feira, 28 de julho de 2016

Comprando Corretamente "Sem Shampoo/Shampoo Leve" - Step 3

Olá leitoras do Blog Mania de Mulher!

Hoje vamos aprender como comprar produtos liberados para as técnicas Sem Shampoo (SS) e Shampoo Leve (SL).
Já conhecemos anteriormente os principais fundamentos, vantagens e restrições, bem como algumas substâncias proibidas/liberadas para ambas as técnicas.

Se você não acompanhou, sugiro a leitura dos seguintes posts antes de continuar:

Hoje colocaremos em prática o que aprendemos até aqui, reconhecendo os produtos liberados para as técnicas a partir da leitura dos ingredientes da formulação.

DICAS PARA COMPRAR CERTO

Para as iniciantes da técnica Sem Shampoo (SS) e/ou Shampoo Leve (SL), ir às compras é um verdadeiro desafio.
Aqui vão algumas dicas que podem ser úteis:

1. Antes de comprar pesquise na internet as fotos dos produtos liberados.
2. Anote em um papel aqueles que você se recorda de já ter visto nas perfumarias que frequenta, ou aqueles pelos quais se interessou.
3. Pesquise na internet resenhas sobre esses produtos. Muitas vezes nas resenhas você encontra a composição do produto, assim em sua  própria casa pode pesquisar se não há ingredientes proibidos.
4. Vá à perfumaria e ao encontrar o produto, leia o rótulo para ter certeza de que você não encontra nenhum proibido na fórmula. Lembre-se que as empresas podem mudar a formulação sem prévio aviso, então ler o rótulo sempre nos dá uma segurança à mais na hora de comprar.

Ao longo do tempo, você irá se familiarizando com os termos e com os ingredientes tipo "figurinha carimbada" (aqueles que sempre aparecem em diversas marcas).
Com o treino, chegará o momento em que você se interessará por um produto, o qual não pesquisou anteriormente, e ao primeiro contato com a composição você conseguirá saber se o produto é liberado para a técnica que escolheu seguir.

TERCEIRO PASSO:

Comprando os Produtos Certos - Step 3

Após conhecer o [step 1] e [step 2], o terceiro passo consiste em seguir as dicas acima (dica 1, 2, 3, 4) para se fazer uma boa compra.
Agora vamos colocar em prática os conhecimentos adquiridos até aqui e treinar a leitura dos rótulos e reconhecimento dos produtos  liberados/proibidos.
Para que fique clara a dinâmica proposta, irei colocar uma composição seguida pela resposta.
Vamos lá?

Os seguintes produtos são liberados???

Condicionador Hidro Cauterização Pantene
R: Esse condicionador é liberado para a técnica SL somente. Proibido para SS porque possuí Bis-Aminopropyl Dimethicone, silicone insolúvel em água.
Como aprendemos anteriormente, o cowash da técnica SS não consegue remover dos fios silicones insolúveis, por essa razão essa substância é proibida para tal técnica.

Agora é com você amiga leitora!!!

Apenas lendo a composição, responda se esses produtos são liberados, caso a resposta seja afirmativa, indique para qual técnica.
Ao final do post, você poderá ver as respostas.
Não se esqueça de colocar nos comentários quais você acertou e quais errou, vamos lá... vai ser legal essa brincadeira!

Produto 1: Condicionador (p/ ampliar clique na imagem)
Produto 2: Shampoo
Produto 3: Máscara
Produto 4: Shampoo
Produto 5: Máscara
Produto 6: Finalizador, gelatina.

Produto 7: Máscara
Produto 8: Finalizador, creme de pentear.

Produto 9: Shampoo

Produto 10: Condicionador

RESPOSTAS:

Produto 1: Liberado para SS e para SL, é um condicionador bem elaborado com diversos óleos e extratos vegetais. É possível utilizar para cowash, porém não é indicado pelo poder nutritivo, que pode deixar os fios oleosos e pesados.
Produto 2: Liberado para SL e proibido para SS (já que na técnica SS não se usa shampoo). Possui agentes limpantes fracos como Sodium lauroyl sacosinate e Shea butteramidopropyl betaine.
Produto 3: A máscara é liberada para SL e proibida para SS. A proibição para SS se dá por causa do silicone insolúvel presente na formula (dimethicone).
Produto 4: Shampoo proibido para SL/SS. É formulado a partir de sulfatos fortes como por exemplo, Sodium laureth sulfate e TEA-dodecylbenzenesulfonate.
Produto 5: Máscara proibida para SS/SL, já que há petrolatum e parafinum liquidum, substâncias indesejáveis para ambas as técnicas de lavagem dos fios.
Produto 6: Finalizador liberado para SS/SL, não apresenta nenhum componente proibido. Há silicone solúvel em água em sua formulação, o que não impede seu uso, já que os silicones solúveis são liberados.
Produto 7: Máscara proibida para SS/SL já que apresenta parafinum liquidum logo no início da formulação.
Produto 8: Creme de pentear liberado para SS/SL, pois não apresenta componentes indesejáveis.
Produto 9: Shampoo liberado para SL e proibido para SS. É um produto que apresenta agentes limpantes suaves e que pode ser classificado como um shampoo leve ou shampoo sem sulfato.
Produto 10: Condicionador liberado para SS/SL. Na realidade é um condicionador higienizante indicado para substituir o shampoo, já que em sua fórmula existe a presença do anfótero cocamidopropyl betaine.

Agora, deixo vocês com um grande beijo. Não esqueçam de conferir o Blog, ele está cheio de novidades!


POSTS ÚTEIS:




terça-feira, 26 de julho de 2016

Proibidos e Liberados para Sem Shampoo/Shampoo Leve - Step 2

Olá leitoras do Blog Mania de Mulher!

No post anterior demos o primeiro passo para a compreensão dos fundamentos básicos das técnicas para limpeza capilar "Sem Shampoo - SS" e "Shampoo Leve - SL".
Nele nos familiarizamos com os rótulos dos produtos, aprendemos a identificar alguns ingredientes proibidos e a interpretar se o produto pode ser usado como cowash.

Se você ainda não leu, [clique aqui] e acompanhe. 

Talvez, o post de hoje lhe pareça um pouco chato. Todavia, é de extrema importância, pois vamos conhecer uma gama de substâncias proibidas/liberadas para as técnicas SS e SL.
Não se desespere, já que as substâncias químicas possuem nomes difíceis de serem pronunciados e memorizados, mas alguns deles são como "figurinhas carimbadas", uma vez que aparecem com muita frequência nos rótulos, esses são mais fáceis de serem memorizados.
Prepare-se, respire fundo, aperte o cinto, vamos lá...

SEGUNDO PASSO

Conhecendo os ingredientes PROIBIDOS

Começaremos com os sulfatos presentes nos shampoos tradicionais. A substância comumente encontrada - a  nossa "figurinha carimba" - é o lauril sulfato de sódio, dodecilbenzenosulfonato e lauril sulfato de amônio.


A tabela verde tem a cor propositalmente pensada, fazendo alusão ao semáforo. Nela consta a relação dos sulfatos leves permitidos para a técnica SL.
As substâncias anfotéricas promovem pouquinha espuma e limpam com suavidade.
Cocamidopropyl betaine é uma substância que pode estar presente em alguns condicionadores formulados especificamente para cowash (já vimos isso no post anterior). Nesse sentido, ele liberado para a técnica SS em pequena quantidade.
É comum encontrarmos sulfatos fracos em shampoos para bebês.
 

Os silicones insolúveis em água, são liberados apenas para SL. Para a técnica SS são proibidos, já que o cowash não tem a capacidade de remover essas substâncias dos fios.
Geralmente, são substâncias terminadas em "ONE" ou "ANE".
Nesse caso, as "figurinhas carimbadas" são Amodimethicone, Dimethicone, Dimethiconol e Cyclopentasiloxane.


A lista dos silicones solúveis em água é bem maior, mas já que são substâncias liberadas para ambas as técnicas, ela torna-se o menor dos nossos problemas. 


Agora temos os derivados minerais, também conhecidos genericamente como petroderivados. São poucos e fáceis de identificar.

Para finalizar, temos uma tabela resumo que ilustra a ideia geral das restrições implicadas em cada técnica.


Não obstante, a maior parte das adeptas da rotina capilar saudável optam pela técnica SL.
A relação das substâncias proibidas/liberadas nos auxiliam quando estamos em uma perfumaria diante de uma infinidade de produtos, porém, ao basear-se somente nessas tabelas as compras tornam-se uma tarefa bem difícil e desanimadora para as iniciantes.
Por essa razão, existem grupos e blogs que compartilham fotos dos produtos liberados. A junção desses dois artifícios (tabelas e fotos), quando somados a um esforço à mais, nos propiciam boas compras e evitam a decepção com produtos escolhidos erroneamente.
Lembre-se: A informação é uma boa arma.

LINKS ÚTEIS

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Sem Shampoo/Shampoo Leve - Step 1

Olá leitoras do Blog Mania de Mulher!

A padronização de um modelo ideal de beleza, o preconceito em torno do cabelo crespo e cacheado e a falta de informação sobre os cuidados específicos para esses tipos de cabelos levaram uma grande quantidade de mulheres à prática do alisamento capilar.

Inicialmente, o procedimento era acessível somente às pessoas que possuíam poder aquisitivo, pois era muito caro. Mas, o alisamento rapidamente se popularizou com preços acessíveis a grande parte das mulheres deixando-as felizes para sempre... SQN.
A mulherada finalmente conseguiu obter seu tão sonhado cabelo liso de forma fácil, mas no decorrer dos anos a febre do alisamento foi deixando seu rastro de destruição.

Atualmente, quando olhamos ao nosso redor com um pouco mais de atenção é comum identificarmos no trabalho, no ônibus, na faculdade, nas ruas, no shopping etc, mulheres com cabelos extremamente danificados, quebrados, com corte químico, espigados, com cabelos ralos e até calvas, resultado de alisamentos sucessivos somado à outras químicas.
Na contramão dos modismos, é crescente o número de mulheres que, insatisfeitas com a aparência dos cabelos, buscam ajuda para deixar de lado os alisamentos e assumir sua forma natural da maneira mais saudável possível.
Por essa razão, o objetivo desse post é mostrar formas alternativas para cuidar dos cabelos visando minimizar as agressões causadas pelas químicas e o ressecamento provocado pelo uso dos shampoos tradicionais.
O primeiro passo para quem quer adotar uma rotina capilar saudável é entender o que são as técnicas de lavagem "Sem Shampoo" e "Shampoo Leve"


Técnica de Limpeza Suave, o que é.

A técnica de limpeza suave surgiu há alguns anos com Lorraine Massey, autora do livro Curly Girl. Seu objetivo era ajudar as mulheres a cuidar das suas madeixas por meio de metodologia de lavagem especificamente desenvolvida para cabelos cacheados.
De maneira objetiva, a Técnica Curly Girl nada mais é do que uma maneira de lavar os cabelos usando produtos mais suaves com a finalidade de evitar danos e ressecamento.
A técnica foi um sucesso, levando pessoas de todos os tipos de cabelos (crespos, ondulados, lisos, fragilizados, tingidos...)  a aderirem esse novo conceito de cuidados capilares que aborda dois métodos de lavagem: o método sem shampoo (SS) e o método do shampoo leve (SL), respectivamente.

PRIMEIRO PASSO:

 Entendendo a lavagem "Sem Shampoo" e "Shampoo Leve"

a) Método Sem Shampoo - SS: 

Aqui é proibido o uso de qualquer tipo de shampoo, inclusive os shampoos sem sulfato (por essa razão o nome do método).


Nesse caso, lava-se o cabelo com condicionador, assim surge o termo em inglês cowash (conditioner-wash), que quer dizer "lavagem com condicionador".
Neste método, as substâncias presentes no condicionador são capazes de retirar, na medida certa, o excesso da oleosidade natural dos fios e as sujidades do dia a dia, sem agredir o cabelo, ou seja, a lavagem com condicionador (cowash) limpa ao mesmo tempo em que trata e condiciona.
Todavia, há fatores limitantes nesse método. Devido a suavidade da limpeza, algumas substâncias não são removidas dos fios, como: silicones insolúveis em água e petroderivados.

Por silicones insolúveis entende-se: dimethicone, cyclopentasiloxane, methicone, amodimethicone, stearyl dimethicone, cetearyl methicone, phenyl trimethicone, etc. Por petroderivados tem-se: parafina líquida, petrolatum, óleo mineral, vaselina, dodecano etc. Convencionou-se chamar essas substâncias de PROIBIDAS.

Portanto, tudo o que for aplicado no cabelo tais como creme de pentear, protetor térmico, gel, máscara de hidratação e condicionador devem ser isentos das substâncias proibidas, uma vez que elas não podem ser removidas dos fios por meio do cowash.
É desejável que o condicionador para a lavagem (cowash) não contenha muitos óleos em sua composição, quanto mais básico os ingredientes de sua formulação, melhor a limpeza dos fios!
Vale ressaltar que os silicones solúveis em água são permitidos nessa técnica, já que o cowash consegue retirá-los dos fios.
A rotina básica de limpeza por meio do método Sem Shampoo (SS) é: aplicar no couro cabeludo e em toda extensão do cabelo o condicionador para cowash, massagear bem o couro cabeludo e exaguar, se for necessário repetir a operação; depois aplicar no comprimento e pontas um condicionador com poder hidratante maior do que o cowash, pausar alguns minutos e enxaguar; por último finalizar com creme de pentear.

Para conhecer as substâncias proibidas para esse método, leia [o post aqui].

Interpretando do Rótulo

Para fins de exemplificação, a imagem abaixo retrata a formulação de um condicionador liberado para a técnica sem shampoo (SS).

Condicionador Nutrição Intensa - Elseve
A ordem dos ingredientes no rótulo indica a quantidade de cada um deles na formulação. As substâncias em maior quantidade estão descritas no começo da composição. Ao final da composição estão descritos os ingredientes em menor quantidade.
Portanto, a água é o componente que está em maior quantidade neste caso e a fragrância é o que está em menor quantidade.
Percebe-se facilmente que o produto é liberado pois não contém nenhum ingrediente proibido na sua composição. Desse modo, teoricamente, o condicionador pode ser usado para cowash, mas na prática, não é o que ocorre.
Note que logo no início da fórmula temos Glycine Soja Oil/Soybean Oil, seguido mais adiante por Cocos Nucifera Oil/Coconut oil; Helianthus Annuus Seed Oil; Sunflower Seed Oil.
O óleo de soja aparece no início na composição, isso quer dizer que há bastante dele na formulação, há também uma grande diversidade de outros óleos que somados aos extratos vegetais tem grande probabilidade de deixar o cabelo pesado, oleoso e com aspecto sujo, caso o produto seja usado como cowash. Assim, uma formulação extremamente nutritiva e hidratante é mais indicada para o condicionamento dos fios e pouco indicada para cowash.
A próxima foto, ilustra a composição de um condicionador indicadíssimo para fazer o cowash.

Condicionador mel e amêndoa - Suave
Note que esse condicionador, além de liberado para a técnica, possui fórmula simples, com poucos ingredientes.
O único óleo vegetal presente é "Prunus Amygdalus Dulcis Oil" e está mais ao final da fórmula, indicando que ele está em pouca quantidade. Assim, esse condicionador pode ser um grande aliado no cowash.
Mas, podemos melhorar mais um pouco, o que acham?
De olho nas mudanças do mercado, algumas marcas inovaram e acrescentaram uma pequena quantidade de agente limpante, "anfótero" (cocamidopropyl betaine) na composição do condicionador, para melhorar o cowash em termos de capacidade de limpeza.
No próximo exemplo, temos um condicionador higienizante, no qual foi acrescentado anfótero na composição. Lembrando que o produto ainda continua com suas propriedades condicionadoras, a final ainda se trata de um condicionador.


Condicionador Higienizante Hydra Cachos - Amend

Neste caso, na segunda linha da composição temos "Shea Butteramidopropyl Betaine" que acrescentado à fórmula aumenta seu poder de limpeza.
Essa formulação é um pouco mais complexa, e apresenta apenas um óleo vegetal "Olea Europaea Fruit Oil". Vale frisar que quanto menos óleo conter a formulação, melhor para se fazer cowash.
Como último exemplo, temos um condicionador proibido, devido a presença de silicones insolúveis e petroderivados.


Blindagem Platinum - Tresemmé
O método sem shampoo é muito mais complexo e restritivo que o método apresentado na sequencia.

b) Método Shampoo Leve - SL

Esse método baseia-se no uso de shampoo sem sulfato (sulfate free). É muito comum encontrarmos nas prateleiras das perfumarias shampoos sem sulfato, assim esse método é o mais adotado.
Aqui, os shampoos tradicionais com sulfato forte são proibidos, bem como os petroderivados.
A limitação aos petroderivados, se dá porque os shampoos sem sulfato não tem um poder de limpeza tão grande quanto os shampoos tradicionais, assim, não é possível remover os resíduos de petroderivados dos cabelos por meio do shampoo sem sulfato.
Nesta linha de pensamento, todo e qualquer produto que será aplicado no cabelo como creme de pentear, gel, spray, termoprotetor, máscara, condicionador etc, não poderão conter petroderivados em sua composição.
Ao contrário do método Sem Shampoo, aqui são permitidos os silicones insolúveis, isso porque o shampoo sem sulfato consegue retirar essas substâncias dos fios durante a lavagem.
A rotina básica de limpeza por meio do método do Shampoo Leve (SL) é: lavar o cabelo e o couro cabeludo com shampoo sem sulfato (se for preciso repita a operação); aplique o condicionador e aguarde alguns minutos, depois enxágue; por último finalize com um creme de pentear.
Para exemplificar, segue a composição de um shampoo proibido para essa técnica.


O fato de haver apenas uma ou mais substâncias proibidas na composição do produto, já o torna indesejável para a técnica.
Neste caso o "Sodium Laureth Sulfate" é um sulfato forte comumente empregado na formulação dos shampoos tradicionais e sempre aparece no início da composição indicando que ele está presente em grande quantidade. Também tem-se outra substância proibida, a  parafina líquida "Paraffinum liquidum".

Para conhecer as substâncias proibidas, leia [este post aqui].

O próximo exemplo, conta com um shampoo sem sulfato liberado para a técnica do shampoo leve.
Shampoo Phytoervas Hidratação Intensa Côco e Algodão
Poder de Limpeza

Se classificarmos o poder de limpeza dos seguintes produtos,  obteremos (a partir do mais forte): shampoo tradicional, com sulfato --> shampoo leve, sem sulfato --> Condicionador acrescido de anfótero (agente limpante) --> Condicionador isento de anfótero.

Qual Método Escolher

Essa é uma questão muito pessoal! Eu faço o método Sem Shampoo (SS), mas já ouvi relatos de pessoas que não se adaptaram à esse método, resultando em coceira e caspas.
Em meu caso, ocorreu exatamente o contrário, após adotar o método SS, deixei de ter caspas e coceiras.
Portanto, a escolha é individual e se caso não dê certo uma das técnicas escolhidas, basta migrar para a outra e observar em qual dos métodos de limpeza você obteve melhor resultado e adaptação.

Considerações Finais

Ao escolher seguir uma das técnicas é imprescindível estar bem informada e não ter preguiça de ler os rótulos.
Na internet é possível encontrar fotos dos produtos liberados para cada técnica, o que ajuda muito, porém não nos desobriga de ler a composição, já que o fabricante é livre para mudar a formulação dos seus produtos conforme lhe aprouver.
Aqui mesmo no Blog Mania de Mulher, existem posts com os produtos que eu utilizo em meu cabelo, os quais possuem preços acessíveis e podem servir de referência para quem está iniciando a técnica. Portanto, deixarei links interessantes para que vocês possam se informar e entrar nesse universo.
Ao início parece ser complicado, mas com a aprendizagem vamos enriquecendo nosso conhecimento e o entendimento das técnicas "sem shampoo" e "shampoo leve" se torna agradável e prazeroso, basta se esforçar um pouquinho.
Todo o esforço vale a pena, pois o resultado é um cabelo incrivelmente saudável e bonito.

LINKS ÚTEIS:

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Resenha Máscara de Hidratação Inoar Doctor

Bom dia leitoras do Blog Mania de Mulher!

A linha Doctor da marca Inoar carrega consigo a representação da solução para os cabelos danificados! 


Hoje vou contar sobre a Máscara de Hidratação que me encantou pelo poder de doar maciez e alinhar os fios como eu nunca vi em qualquer outra máscara.
Durante o banho ela se espalha facilmente, "derretendo" e desembaraçando os fios, outro ponto favorável é o cheirinho suave e agradável que ela proporciona.
A embalagem contendo 450 gramas me custou $ 36,00 dinheirinhos, o que não é caro, já que faço as hidratações semanalmente e como o produto é bem consistente e concentrado, uma pequena quantidade já se faz suficiente para o tratamento. Assim, vejo que a máscara vai durar horrores.


Lembrando que nunca devemos enfiar os dedos dentro do pote para não contaminar o produto. O ideal é usarmos uma espátula ou uma colher para retirar a quantidade certa de creme que iremos usar na hidratação.

Método Sem Shampoo/Shampoo Leve
Essa máscara é indicada para quem segue as técnicas Curly Girl criada por Lorraine Massey, uma vez que sua composição é livre de silicones insolúveis em água e petrolatos. O risco de irritações cutâneas também são minimizados pela isenção de aldeídos e DEA.
Eu a utilizo da seguinte forma: após fazer cowash (lavagem com condicionador), retiro todo o excesso de água dos fios (o máximo que eu conseguir, apertando o cabelo com as mãos), depois aplico a máscara nos fios e raíz e massageio bastante (sem pressa); durante a massagem vou acrescentando água aos poucos até formar uma emulsão (acho que perco uns 5 ou 7 minutos nessa etapa). Em seguida, coloco touca de alumínio e aguardo por 10 minutos. Enxáguo abundantemente, aplico condicionador e enxáguo novamente.

Resultado: umectação seguida da hidratação c/ Inoar Doctor (clique para ampliar)

Para Cronograma Capilar
Para as adeptas do cronograma capilar a Inoar oferece, além da máscara de hidratação, as máscaras de reconstrução e nutrição!
Ao meu ver, as demais máscaras são desnecessárias. Apenas com a máscara de hidratação é possível seguir o cronograma capilar tranquilamente. Para a etapa de reconstrução, basta acrescentar à máscara a queratina líquida da Niely Gold, que além de queratina, possui diversos aminoácidos em sua composição. Na etapa de nutrição, basta acrescentar alguns óleos vegetais puros de sua preferência!!! Desse modo, comprar as três máscaras  para seguir o cronograma capilar é um desperdício.


Essa máscara se tornou a minha preferida, amo... amo... amo... Não preciso falar muita coisa, já que os resultados já falam por si só!

Foto com flash - baguncei o cabelo p/ dar volume

Foto sem flash, pena que tem uma sombra aí... mas vale!

A composição é bem rica e elaborada.

Ingredientes

Vale ressaltar que as resenhas do Blog Mania de Mulher expressam minha sincera opinião, já que não recebo produtos grátis para testar. Cada produto resenhado aqui é comprado com o suor do meu trabalho.
Há também a questão da particularidade, pois nem tudo o que dá certo para mim, vai dar certo para você.
"Cabelisticamente" falando, tem que testar para saber se seu cabelo vai gostar! (rsrsrs).
Espero que vocês tenham gostando do post e aproveitem para explorar o Blog pois ele está recheado de novidades!!! Beijos.

LEIA TAMBÉM

sábado, 16 de julho de 2016

Qual é o pH do Yamasterol

Olá leitoras do Blog Mania de Mulher!

O creme yamasterol se viralizou entre as adeptas da técnica Curly Girl devido a sua multifuncionalidade, preço e qualidade.
Para quem não conhece, a técnica Curly Girl foi criada por Lorraine Massey, a qual - em alguns casos - exclui o uso dos shampoos para lavar os cabelos, - em outros casos - os cabelos são lavados com shampoo sem sulfato. Em ambos os casos, para a limpeza e tratamento dos fios, não são permitidos produtos que contenham em sua formulação parafina líquida, óleo mineral, petrolatos, dentre outros.
Assim, a linha Yamasterol se encaixa dentro dos requisitos para a realização da técnica mencionada.
Mas, uma dúvida sobre o produto afligia minhas noites de sono: a final qual é o pH do yamasterol?
Esse questionamento surgiu diante da frequência de comentários que eu ouvia nos quais muitas garotas e blogueiras rotulavam o yamasterol de creme com "pH alto", mas nenhuma delas sabiam dizer ao certo a procedência dessa informação, simplesmente repetiam o que haviam ouvido ou lido pela internet.
Recentemente me deparei com um blog muito famoso na internet, o "Clube do Cabelo e Cia" no qual o pH do yamasterol branco e amarelo foi medido por meio de fita indicadora de pH e o valor apontado (pH = 4,5)  divergia do que diziam a maioria das garotas.
Diante desse dilema, essa pessoinha que vos escreve resolveu entrar em ação e por a mão na massa. Como resultado, temos esse post no qual vou compartilhar com vocês o pH que obtive. Então vamos lá...
Paula em ação! (foto meramente ilustrativa)
Para o teste, utilizei um peagâmetro (pHmetro) com eletrodo de vidro combinado e compensador de temperatura.



Também foi utilizada a fita indicadora de pH (aquelas com escala de cor).

Amostras:

Onde: 1 (água de deionizada); 2 (água de torneira); 3 (água deionizada + yamasterol amarelo); 4 (água de torneira + yamasterol amarelo); 5 (água deionizada + yamasterol p/ cowash rosa); 6 (água de torneira + yamasterol p/ cowash rosa); 7 (yamasterol amarelo puro); 8 (yamasterol p/ cowash puro, da embalagem rosa).

Calibração do Equipamento:
 
O primeiro passo foi calibrar o pHmetro, dando-lhe referência com a solução tampão pH=4 e pH=7. O tampão utilizado fica conservado em geladeira e está dentro do prazo de validade.

Solução Tampão pH 4 e 7 c/ validade em mês 08/2017

Testes c/ água de diluição:
água deionizada (amostra 1), pH = 6,94

Esperava-se um pH igual à 7, todavia 6,94 está bem pertinho.

água da torneira (amostra 2), pH = 7,53

O Ministério da Saúde determina que a água potável destinada aos seres humanos por meio da rede pública de abastecimento deve estar na faixa de pH entre 6,0 à 9,5 (portaria 2914).
Rogério Felisoni, engenheiro químico e diretor técnico do Controle hídrico de São Paulo (COHESP) publicou um artigo muito interessante e esclarecedor sobre o pH ideal da água para o consumo humano e desmentiu mitos a respeito do seu efeito sobre a nossa saúde. Recomendo a leitura [aqui].

Testes c/ Yamasterol Amarelo:
Yamasterol amarelo puro (amostra 7), pH = 6,13


Yamasterol amarelo c/ água deionizada (amostra 3), pH = 6,14
Neste teste coloquei 40 mL de água deionizada + 3 doses de yamasterol amarelo (pela válvula dosadora da embalagem), agitei e procedi a leitura, obtendo um pH que praticamente não se alterou.
Enquanto o pHmetro nos remete ao valor exato do pH (teste quantitativo), a fita indicadora de pH (teste qualitativo) nos fornece um valor aproximado. Vejamos abaixo:

Yamasterol amarelo c/ água deionizada (amostra 3), pH = 5 aprox.
Portanto, em termos de exatidão, o pHmetro é mais indicado que a fita indicadora.
Yamasterol amarelo c/ água de torneira (amostra 4), pH = 6,64

Neste teste coloquei 40 mL de água de torneira + 3 doses de yamasterol amarelo (pela válvula dosadora da embalagem), agitei e procedi a leitura.
Percebe-se que ao diluir o yamasterol amarelo na água de torneira ou água deionizada a variação de pH é bem pequenina, haja visto que o pH da água de torneira (7,53) e o pH da água deionizada (6,94) não estão tão distantes do pH da do yamasterol amarelo (6,13).
Em seguida temos o teste qualitativo:

Yamasterol amarelo c/ água de torneira (amostra 4), pH = 6 aprox.
 
Testes c/ Yamasterol p/ Coawash Rosa

Yamasterol p/ cowash puro (amostra 8), pH = 4,45

O yamasterol desenvolvido especificamente para cowash (da embalagem rosinha), apresenta um caráter ácido (4,45).
Quando diluído em água deionizada temos o seguinte:

Yamasterol para Coawash c/ água deionizada (amostra 5), pH = 5,15
Neste teste coloquei 40 mL de água deionizada + 3 doses de yamasterol para cowash (apertando a válvula dosadora da embalagem), agitei e procedi a leitura, cujo valor obtido foi de 5,15.
No teste qualitativo com a fita indicadora de pH temos:


Yamasterol para Cowash (amostra 5), pH = 5 aprox.
A foto acima não ficou fidedigna, mas o valor indicado corresponde à pH = 5.
Vale lembrar que todos os testes qualitativos que foram realizados aqui são desnecessários, já que o pHmetro nos fornece com exatidão o valor do pH das substâncias analisadas. Contudo para que o post ficasse mais didático realizei os testes com a fita indicadora de pH apenas para reforçar a ideia de que esta ferramenta nos fornece um valor aproximado do real.
O teste seguinte foi realizado utilizando-se a água de torneira como água de diluição.

Yamasterol para Cowash c/ água de torneira (amostra 6), pH = 6,31
Aqui coloquei 40 mL de água torneira + 3 doses de yamasterol para cowash (apertando a válvula dosadora da embalagem), agitei e procedi a leitura, cujo valor obtido foi de 6,31.
No teste qualitativo o valor foi de aproximadamente 6.

Yamasterol para Cowash (amostra 6), pH = 6 aprox.
A tabela abaixo, sintetiza todos os resultados encontrados para fácil visualização. Peço a gentileza que ao replicar essas informações citem a fonte, pois tive dispêndio de tempo e dedicação para fazer esse post. Plágio é crime!


Bom, agora que já sanei minha curiosidade, já posso deitar e descansar em paz, rsrsrs...
O Blog Mania de Mulher está recheado de assuntos interessantes, fiquem a vontade para explorá-los.
Um grande abraço e até a próxima...


LEIA TAMBÉM