sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Grande Flor Tropical

 

Olá queridos leitores do Blog Mania de Mulher!

Diariamente somos bombardeados por uma quantidade tão grande de informações, que nosso cérebro não consegue assimilar todas elas. Muitas vezes torna-se mais fácil ignorarmos certos conhecimentos, e a medida que necessitamos deles recorremos ao Google, seja pelo computador; pelo notebook; pelo tablet ou pelo celular.

Na era onde tudo é descartável, não podemos deixar de nos colocar na condição de aprendizes, pois o conhecimento é construído dia após dia, e muitas vezes, pessoas que jamais imaginamos que iriam nos ensinar algo, acabam nos trazendo coisas inéditas.

O Blog Mania de Mulher, não aborda somente beleza, estética, saúde e entretenimento. Aqui também tem cultura! Continuem lendo o artigo e confiram…

Conheci a Grande Flor Tropical, por meio da minha sobrinha de apenas 12 anos. Ela chegou em casa nos contando sobre a obra de um artista plástico, a qual a professora gostaria que os alunos tentassem reproduzir, utilizando os materiais disponíveis em suas próprias casas.

Então, essa criatura que vos escreve, muito interessada na vida escolar de sua pequena e amada sobrinha pôs-se a pesquisar na internet sobre a tal da flor. E vejam só o que aprendi:

Franz Joseph Weissmann é um artista fundamental na escultura brasileira. Sua trajetória iluminada está presente no decisivo e essencial capítulo da arte construtiva nacional, em especial, na transição do concretismo para o neoconcretismo – uma passagem que deu às artes plásticas vigor, originalidade, leveza, inventividade, que o enriquece e diferencia de todos os construtivistas. A história do concretismo no Brasil estaria incompleta sem a sua presença.

weissmann

Resumidamente, Weissmann nasceu em 1914, na cidade de Knittefeld, Áustria. Em 1921, chega ao Brasil com a família, fixando-se no interior do Estado de São Paulo. Muda-se novamente com a família para a cidade do Rio de Janeiro, no final de 1929, fugindo da crise econômica de São Paulo. Freqüenta o curso preparatório para a Escola Politécnica e trabalha com seu irmão Fritz, na fábrica Ciferal de carrocerias de ônibus, fundada por seu pai. Em 1939 ingressa na Escola Nacional de Belas Artes (ENBA), onde estuda Arquitetura e Pintura. Abandona a academia em 1941. Buscando um pensamento mais livre, passa a estudar no ateliê do escultor polonês August Zamoyski, entre 1942 e 1943, com quem aprende as técnicas tradicionais de escultura, usando a pedra, o barro, o gesso e o bronze.

A filha do artista, Waltraud Weissmann, relata que até o último dia seu pai insistia em criar. Nas últimas semanas de vida, mesmo recuperando-se de um infarto do miocárdio, sempre visitava o ateliê para fazer as suas maquetes. Faleceu aos 91 anos, no dia 18 de julho de 2005, em seu quarto, como queria, com vista para a lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro.

A escultura "Grande Flor Tropical" em aço pintado, foi criada em 1989 para o Memorial da América Latina, em São Paulo.

Os tons e as cromaticidades expressivas utilizadas por Weissmann, quando começa a trabalhar com o aço, revelam a importância da luz como um elemento que potencializa integralmente a escultura. Pois, para o artista o mundo é cor. Seja o preto fosco que absorve a luz, ou o brilhante que a reflete. O amarelo, uma cor expansiva; o verde, sinal de vida; o vermelho, como estado de paixão. A cor não é aplicada ao trabalho. Ela é intrínseca, integra. Usada para aproximar a obra do espectador, e ao mesmo tempo se relacionar com a forma livre da escultura no espaço.

Usando a Criatividade

Para fazer uma flor, inspirada na Grande Flor Tropical, usamos E.V.A., cola para E.V.A. e cola glitter para enfeitar. Esses materiais eram sobras de alguns enfeites para decorar mesas, que eu tinha feito no mês anterior para a comemoração do meu aniversário.

Eu a minha sobrinha, utilizamos como referência a imagem abaixo, pois era mais fácil de reproduzir.

weiss2

Resultado da nossa "arte" sob diferentes ângulos, rs…

DSC_0261

weiss2

DSC_0263

DSC_0265

 

A contribuição para a arte internacional e brasileira é a dimensão pública que sua obra adquiriu. Há muitas delas em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e no exterior. Esculturas e formas livres, "desenhos no espaço" — como chamava Mário Pedrosa —, dotados de plenitude geométrica e a sensível claridade das cores ativas.

Vamos deixar o orgulho e a soberba de lado e ter a humildade de nos colocarmos como aprendizes. Hoje, graças à minha pequena sobrinha, aprendi algo novo! E também treinei minhas habilidades pouco desenvolvidas no trabalho manual, rs…

Espero que vocês tenham gostado do post de hoje! Super abraço aos caros leitores e até a próxima.

Fonte de Pesquisa: http://www.germinaliteratura.com.br/arsnova_josealoisebahia_dez07.htm

L  E  I  A    T  A  M  B  É  M

Cachos Perfeitos: Curl Formes ou Baby Liss?

Batom Koloss Rosa Elegance

Como recuperei meus cabelos após luzes mal feitas

Como tingir aplique tic tac

Creme anti idade com Retinol e DMAE

Li e Indico: A Fúria dos Reis

Suco Rosa, um aliado da saúde

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Primeiros Passos para Dançar Tango

 

Olá queridos leitores do Blog Mania de Mulher!

O tango é um estilo musical de sólida identidade que está  fortemente atrelado à dança. Quando pensamos em tango, imediatamente formamos a imagem mental de um casal intimamente conectado pela parte superior do corpo, executando lindos trabalhos de pernas.

Quando o professor anunciou: "Hoje nós vamos aprender tango", a sensação de euforia e ao mesmo tempo apreensão tomou conta de mim, uma vez que o tango é muito admirado em nosso país, mas apesar disso, é cercado pelo mito de ser uma dança muito difícil de aprender.

tango

A percepção musical é muito importante para ambas as partes (dama e cavalheiro), porém, do cavalheiro é exigido uma percepção mais aguçada porque é ele quem conduz a dama. As músicas possuem momentos "altos" e momentos "baixos" e cabe ao cavalheiro identificar tais momentos para estar sempre dentro do ritmo da música e adicionar uma pitada à mais de emoção no momento apropriado.

O professor nos aconselhou a ouvir diferentes músicas de tango no dia a dia, para que nossos ouvidos se familiarizem com a "batida" da música, segundo ele, isso contribui muito para o desenvolvimento da percepção rítmica desse estilo musical.

A esposa do meu professor, também é do mundo da dança. Ela veio da Argentina para o Brasil, e trouxe consigo uma bagagem considerável de conhecimento e técnica, das quais seu marido (meu professor) fez bom proveito.

O tango que, por mim, era considerado um tabu, fluiu pelo meu tronco, pernas e pés de forma tão suave, agradável e natural que a aula terminou com sabor de quero mais!

Hoje, eu aprendi que o passo básico é constituído por três partes, a saber: saída básica, caminhada e resolução. Onde a saída básica é na contagem 1, 2; a caminhada constitui os passos 3, 4 e o cruzamento das pernas da dama no 5 e a resolução constitui os passos 6, 7 e 8. O 8 é uma transferência de peso para começar tudo novamente. Ou seja, a base é constituída por 8 passos.

Também aprendi a fazer Ochos Atras (oitos atrás) e Ochos Adelante (oitos à frente) e sanduíche. O professor também ensinou duas saídas diferentes, que podem ser realizadas depois de executar os oitos e o sanduíche.

Selecionei três vídeos bem objetivos e rápidos que ensinam a executar os oitos à frente e oitos atrás e o sanduíche. Vejam só como é fácil e visualmente bonito.

Ochos Adelante

Oito à frente–Tango

Ochos Atras

Oito Atrás–Tango

Sanduíche

Sanduíche–Tango

Para os amigos aqui de Piracicaba, que irão me perguntar onde eu faço aulas de dança de salão, fica registrado aqui… escola Palacete Dança & Música, situada na Rua São José, n. 860 (esq. c/ a Rua Governador), Centro, Piracicaba (www.palacetedancaemusica.com.br).

O tango, melhora a postura, a flexibilidade, o equilíbrio, a concentração, a auto-confiança, estimula a criatividade… enfim, a prática da dança de salão nos dá prazer, alegria e descobrimos o quanto somos capazes de vencer barreiras e dificuldades.

Mexa seu corpo e descubra-se também!

Até a próxima.

L E I A   T A M B É M

Samba de Gafieira – Cadeirinha ou Colinho

Rock Soltinho – Irreverência e Ousadia

Sugestão de Maquiagem para Dança do Ventre

Resenha Absolut Control Loreal

Panqueca Integral Fácil

Cupcake de Beijinho

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Rock Soltinho, Irreverência e Ousadia dos Movimentos

 

Olá queridos leitores do Blog Mania de Mulher!

Hoje irei abordar sobre um estilo de dança que tem um toque especial dos brasileiros e ficou muito conhecido como rock soltinho ou simplesmente soltinho.

O Rio de Janeiro exerce grande influência no âmbito da dança de salão, sendo referência para os profissionais da dança. Foi nas gafieiras que surgiu o soltinho.

O autor Marco Antônio Pena, em sua obra "Samba de Gafieira, a História da Dança de Salão Brasileira" fala que o soltinho foi criado e difundido nos salões cariocas na década de 80 . Posteriormente, foi dançado em São Paulo em 1990 e difundido para o resto do país.

Rock Soltinho Brasileiro

O Soltinho é uma variação de um ritmo famoso nos Estados Unidos (Eastern Country Swing), e no Brasil ganhou uma forma própria, sendo conhecido também como Swing Brasileiro, cujo significado da palavra swing é: balanço, irreverência, ousadia, ginga. Portanto, é uma dança que reuni a ginga e a improvisação brasileira ao rock e swing norte americano.  Esses atributos fazem do soltinho uma dança alegre, divertida, cheia de sentimento, energia, dinamismo e passos fortes.

O Soltinho não é um ritmo musical, ele pode ser dançado com dance music, rock, e até fox-trot (elegante dança norte americana, parecida com a valsa), ou seja, possui um repertório eclético. Segue exemplos de músicas que podem ser dançadas como soltinho: "É proibido fumar" Skank; "Fico assim sem você" Claudinho e Bochecha; "Dancin days" Lulu Santos; "Estúpido Cupido" Celly Campello; "Dancing Queen" ABBA.

Vale lembrar que no Soltinho tudo que é dançado para um lado, é também dançado para o outro, assim nenhum lado fica sobrecarregado.  É chamado assim porque pode ser dançado de maneira solta,  os pares podem estar afastados dançando de mãos dadas a mesma coreografia ao mesmo tempo.

Quem faz dança de salão já deve estar cansado de ouvir "atrás, à frente, um dois três… atrás, à frente, um dois três…", pois é assim que, normalmente, contamos a marcação da base quando estamos aprendendo a dançar soltinho.

Em festas de casamento e bailes de formatura tocam-se muitas músicas que encaixam-se no soltinho e as pessoas que sabem dança-las, inevitavelmente, acabam atraindo os "holofotes" para si.

Selecionei para os queridos leitores do Blog Mania de Mulher, um breve vídeo ensinando a executar o passo básico de forma bem fácil de entender.

Passo básico do soltinho.

Na medida em que nos familiarizamos com o soltinho e nos tornamos íntimos desse estilo de dança, começamos a nos soltar mais e a usar a criatividade, então a dança torna-se muito divertida. Confiram abaixo, a dinâmica da dança.

Soltinho, uma dança contagiante!

Tenho observado que quando são tocadas músicas para dançar soltinho, a pista de dança não fica cheia como quando toca bolero, forró, sertanejo universitário. Recomendo a leitura deste artigo muito interessante (clique aqui para ler), escrito por um profissional da dança. Segundo ele, com o passar dos anos o soltinho está perdendo espaço na dança de salão e corre o risco que cair no esquecimento como foi o caso da lambada.

Deixo vocês com um forte abraço. Até a próxima…

L E I A    T A M B É M

Samba de Gafieira – Colinho ou Cadeirinha

Suco Rosa – Um aliado da Saúde

Li e Indico: A Guerra dos Tronos

Batom Ruby Woo – MAC

Cabelos Tratados com Tânagra, Kerastase e Amend

Resenha Batom Rosa Elegance – Koloss

Anti idade com Retinol e DMAE

Omelete Especial do Edu Guedes